William Mendonça
POESIA, PROSA, MÚSICA E TEATRO
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos

PERPLEXIDADE
 
Em cada novo templo, profecias
que se perdem, inúteis, no vazio
de espíritos perplexos - que não voam,
nem conhecem a música da vida ...
 
Talvez Cristo chegasse, num relance,
como luz, como um vento de dezembro,
e ninguém percebesse que a Verdade
está viva - e persiste no que é puro.
 
E nesse turbilhão, o desespero
de tudo cega tantos corações
que entorpece até mesmo os mais sensíveis.
 
E na dor, disfarçada em força, vivem
presos os que não sabem o Caminho
- espíritos perplexos, que não voam.

(Direitos reservados ao autor. Parte da coletânea "Alguns sonetos que fiz por aí ...", disponível em e-book.)
William Mendonça
Enviado por William Mendonça em 13/05/2013
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários